• No products in the cart.
Proceed to Checkout

A Quinta

A Quinta do Tamariz é um autêntico jardim secreto, um dos bens melhor guardados na zona, que abriga um dos mais antigos viveiros de plantas do norte do país. A biodiversidade é algo que é acarinhado pelo Dr. António Vinagre.

Por isso, para além da vinha, a Quinta do Tamariz conta com 10 hectares de árvores com mais de 25 anos, como castanheiros, nogueiras, carvalhos e todo um jardim diverso em flora onde predominam as camélias e as rosas que servem de habitat natural aos animais.

A Quinta do Tamariz foi galardoada com o prémio “Best of Wine Tourism” (categoria “Arquitetura, Parques e Jardins”) pela Great Wine Capitals em 2008, o qual foi pela primeira vez atribuído na Região dos Vinhos Verdes.

Tanto na vinha como na adega o nosso lema é:
mais física menos química

“Não são apenas os sabores da terra que vai encontrar nos nossos vinhos. No processo de vinificação e engarrafamento procura-se conservar a memória de um tempo que nos sobreviveu. A mesma paixão dos nossos antepassados serve de mote para que cada garrafa seja uma experiência que certamente não vai esquecer.”
Se há algo que caracteriza a Quinta do Tamariz é a sua preocupação com o bem-estar da matéria-prima.

Não é por acaso que o lema da Engª Maria Francisca Vinagre, também administradora da Sociedade Agrícola e responsável pela área produtiva, seja: “mais física e menos química”, e isto é quase que uma lei tanto na vinha como na adega. Tendo em conta este ideal, a cultura da vinha é tratada segundo o regime de Produção Integrada, pelo que os tratamentos são reduzidos ao mínimo.
Para Maria Francisca cada casta é um caso e, por isso, tem que ser tratada de uma forma específica. Na vinha, o mais importante é a preservação da qualidade das uvas porque só assim é que se consegue um néctar puro.

A Quinta do Tamariz não tem como prioridade produções grandes mas sim conseguir vinhos naturalmente aromáticos que consigam chegar à adega sem resíduos. Portanto, se a matéria-prima for boa o produto final também vai estar no mesmo nível qualitativo.

Vinhos, espumantes e aguardentes de Quinta

Foi nos anos 30 que Delfim Vinagre começou a ser um dos primeiros produtores a engarrafar vinho em Barcelos, para venda.
As vindimas são iniciadas quando as uvas atingem o ponto perfeito de maduração onde a acidez é equilibrada assim como os níveis de açúcar. Nessa altura, as uvas são colhidas criteriosamente, de forma a chegarem à adega em ótimo estado. Uma vindima manual com as gentes da terra, onde a primeira escolha das uvas é feita na própria vinha. De modo a conservar o aroma e a excelência do vinho, o engarrafamento é feito cedo e cada garrafa tem um número de identificação que permite aceder a toda a informação sobre essa colheita.

A Quinta do Tamariz assume com orgulho o seu estatuto de Vitivinicultor Independente. Aqui só se vinificam as uvas da própria quinta, e só se utilizam castas autóctones, pois só assim se pode ter pleno controlo da qualidade do vinho.
Tendo sido pioneira na região no engarrafamento de vinhos monovarietais, os Quinta do Tamariz Loureiro, Quinta do Tamariz Arinto e Quinta do Tamariz Alvarinho, a Sociedade Agrícola lançou também um vinho “blend”, com estas 3 castas brancas, e que se apresenta como um vinho branco de excelência, numa edição limitada.

Os Espumantes

Os Espumantes também fazem parte do portfólio e são comercializados com a marca Tamariz nas versões branco (Arinto), tinto (Vinhão) e rosé (Touriga Nacional).
Os espumantes Tamariz são feitos segundo o método clássico, com fermentação em garrafa e com estágio de pelo menos nove meses em garrafa.

As aguardentes vínicas são produzidas pela família desde 1951, ano do primeiro engarrafamento.

Por aconselhamento técnico do Eng. Amândio Galhano, tendo em conta as magníficas características da Região dos Vinhos Verdes para a produção de aguardentes, em face do seu baixo teor alcoólico, alta acidez e castas aromáticas, decidiu Delfim Vinagre, em 1951, iniciar a destilação de vinhos, normalmente tintos, e constituir um stock de aguardente de vinho em envelhecimento.
Ao longo dos anos eles foram sendo renovados, dispondo a Sociedade Agrícola de um significativo stock em quantidade e qualidade de Aguardente Velha Vínica de Vinho Verde.

Os vinhos a destilar são vinificados expressamente para esse efeito, sem adição de conservantes, nomeadamente sulfuroso, e de boa qualidade, em termos de pureza, pois sem uma boa base seria impossível produzir uma boa aguardente.

Hoje são três as referências de aguardentes vínicas de Vinho Verde, envelhecidas em casco de carvalho francês limousin, algumas com mais de 40 anos em barrica, e que constituem um produto de charme da Quinta do Tamariz. Em 2015 foi engarrafada a Aguarde Vínica Velha Quinta do Tamariz Loureiro 2001, exclusivamente da casta loureiro, uma aguardente aromática que não deixa nenhum apreciador indiferente.

Para conhecer a Quinta do Tamariz e os seus produtos, nada melhor que saboreá-los!

Venha visitar-nos. Estamos sempre de braços abertos à sua espera.

Follow us!Facebooklinkedinrss
ShareFacebooktwittergoogle_pluspinterestlinkedinmail
Scroll to top